Posts Marcados Com: Queijo

Cheesecake

Vou publicar uma receita que é contribuição do meu irmão Claudio (as mãos da foto são dele).

Um Cheesecake não é uma receita italiana, mas é tão fácil e tão saborosa que merece um Post.

CheeseCake com calda

Para essa versão vou utilizar biscoitos maisena de chocolate e cobrir com uma geleia de morango

Ingrediente do CheeseCake

Os ingredientes são:

  • 200 g de biscoito maisena
  • 120g de manteiga
  • 450g de Cream Cheese
  • 2 ovos
  • 1 colher de chá de extrato de baunilha

Para o preparo primeiro triture os biscoitos no processador e junte a manteiga derretida para formar uma massa mais ou menos aglomerada

Triturar os biscoitos

Adicionar manteiga

Misturar as bolachas e a manteiga para fazer uma massa

Com as mão espalhe a massa em uma forma de 20cm de diâmetro e pressionado bem a massa cubra toda a forma. Deixe o fundo com 1cm de espessura e suba bem as bordas da forma. Na fota a forma tem 28cm por isso a massa ficou mais fina.

Moldando a massa do Cheesecake com as mãos

Em uma batedeira mistura homogeneamente todos os outros ingredientes e então despeje com cuidado dentro da massa

Adicionar o creme do CheeseCake

Levar ao forno

Levar ao forno pré aquecido a 200º C por 45 min. Depois desse tempo retire o papel e cozinhe por mais 15min ou até que, espetando um palito ele saia limpo

Sirva assim ou coberto de alguma calda ou geleia.

Categorias: Receitas Novas, Uncategorized | Tags: , , | Deixe um comentário

Tomates os frutos dourados

O tomate (Solanum lycopersicum) que em italiano é chamado de Pomodoro, é um dos produtos mais característicos da culinária italiana. Para se ter uma ideia a Itália produz 7,8 milhões de toneladas de tomate ao ano, mais que o dobro do Brasil.

Assim como o milho da polenta não é italiano o tomate também não é, ele veio das Américas, trazido pelos colonizadores e chegou na Itália apenas em 1596 sendo cultivado com sucesso no sul do pais apenas anos mais tarde.

O nome Pomodoro se originou pois as primeiras espécies trazidas para a Itália eram douradas, dai o nome Pomo ( Maça) d’oro (de ouro). Em português se fala tomate pois esse era o nome dado pelos nativos da America centra ao fruto tomatl.

Pomodori

Apesar de comer tomates a anos, apenas recentemente comi um tomate amadurecido no pé, que eu recebi de presente em uma visita a pequena cidade de Angolo Terme. Quando comi esse tomate toda a insistência dos italianos de cozinharem com ingredientes locais e na estação correta me fez muito mais sentido.

Não sei se era o sol do verão, o solo, o microclima da montanha ou se era apenas sorte do produtor mas aqueles tomates foram uma das melhores coisas que já comi na vida.

Igreja de São Silvestre em Angolo Terme

Os tomates eram doces, quase como um caqui, não eram ácidos e eram tão tenros que minha intenção inicial de fazer um molho foi abandonada e resolvi fazer uma salada caprese. Uma salada caprese é uma receita da Campania que se tornou famosa por ser a famorita do Rei Farouk do Egito.

Minha versão é minimalista e básica, deixando ao montagem como grande diferencial. Gosto de montar como se a salada fosse uma maçã.

Insalata Caprese

Para montar eu coloco a mussarela dentro do tomate e rego tudo com o pesto e o vinagre. Servir não muito gelada, de preferência acompanhada de um bom espumante.

Categorias: Receitas Novas, Uncategorized | Tags: , , , , , , | Deixe um comentário

Frango Cordon Bleu a Bergamasca

Fazendo justiça ao nome do Blog vou demonstrar uma receita usando o delicioso queijo taleggio.

Frango Cordon Bleu

Frango Cordon Bleu a Bergamasca

Essa receita eu inventei usando ingredientes que estavam disponíveis na geladeira da minha Zia quando eu estava passando um tempo com ela em Bergamo. Tentei fazer algo como uma releitura do clássico frango Cordon Bleu.

O frango a Cordon Bleu é uma prato americano que nada tem a ver com a clássica escola francesa de mesmo nome. segundo o site http://www.foodtimeline.org/ o  frango Cordon Bleu surgiu de variações de pratos feitos com vitela. Sua primeira aparição data de 1958 no jornal LA Times.

ingredientes frango Cordon Bleu

Para minha variante a Bergamasca segue os seguintes ingredientes:

330g de filé de  peito de peru

2 fatias de presunto tipo Parma (de preferência San Danielle)

2 fatias grossas de queijo taleggio descascado

ovo e farinha de rosca para empanar

manteiga e salvia para fritar.

sal e pimenta do reino

Preparo:

Abra os peitos ao meio deixando um lado sem cortar para segurar tudo junto. Tempere com sal e pimenta,  coloque uma fatia de presunto, uma de queijo taleggio e uma folha de salvia dentro dos peitos.

Com cuidado feche e empane passando no ovo e na farinha de rosca.

ingredientes frango Cordon Bleu na panela

Frite em uma frigideira com muita manteiga e duas folhas de salvia. O segredo é manter o fogo baixo para cozinhar bem o peito sem queimar a casca não esquecendo de apenas virar o peito uma vez.

Para servir eu recomendo como acompanhamentos carciofini no azeite e pão italiano.

Categorias: Receitas Novas | Tags: , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Queijos – “La bóca l’è mia straca se la sènt mia de aça”

By Victor Pina Schmidt

Flor em Bergamo

Para os italianos queijo é um assunto  sério e por isso existem queijos com denominação de origem protegida (DOP). Isso significa que  para um gorgonzola ser um verdadeiro gorgonzola ele deve ser feito segundo um rígido controle de processos e qualidade apenas nas províncias de: Bergamo, Brescia, Biella, Como, Cremona, Cuneo, Lecco, Lodi, Milano, Novara, Pavia, Varese, Verbania, Vercelli. Fora dessa região um gorgonzola pode receber outro nome, mas não de gorgonzola.

Na Região de Bergamo ainda temos os queijos DOP: Taleggio, Quartirolo Lombardo, Grana Padano, Formai de Mut dell’Alta Valle Brembana, Bitto. Todos com características únicas e um grande controle de qualidade para garantir as características dos produtos.

by Victor Pina Schmidt

Quijos

Meu nonno sempre repetia um provérbio ao final de um grande refeição “La bóca l’è mia straca se la sènt mia de aça”. O provérbio em tradução livre fica algo como: a boca não está satisfeito a menos que ele sente de vaca, ou melhor dizendo, Você não está satisfeito, se não terminou a refeição com o queijo.

Até eu visitar a Itália, não tinha noção da dimensão desse provérbio. Na verdade minha mãe já avia comentado da abundância de queijos ao final de uma refeição, mas só tive certeza disso quando fui num almoço em família em Bergamo.

Depois de um maravilhoso almoço com todos os pratos e acompanhamentos, vem a mesa uma bela tábua da queijos.

Uma boa tábua de queijos e formada por alguns queijos DOP  e  outros  queijos locais como as Formagellas e os queijos casalinghi (caseiros), que apesar de não ter uma denominação de origem controlada ou um nome formal, são deliciosos. Ser um queijo DOP garante características e qualidades unidas ao queijo, isso não quer dizer que não ser DOP não significa que o queijo é ruim.

By Victor Pina Schmidt

Queijos

Quando se degusta um queijo e se pergunta a alguma italiano os motivos de cada queijo ser tão bom, todos tem na ponta da língua um conjunto de fatores.

Eles explicam como o queijo é influenciado pela maneira como se trabalha o leite, como se trata a vaca, a forma como se faz a cura do queijo  e acima de tudo eles falam das ervas que os animais são alimentados. Esse é o motivo que um queijo feito em uma determinada região da Itália não pode ser mimetizando em outra, pois o pasto é único de um lugar. Essa razão também que um queijo feito com um leite de vaca  comendo em um pasto em Minas Gerais nunca vai ser igual a um leite de uma vaca em Bergamo.

Categorias: história, Pratos Típicos | Tags: | Deixe um comentário

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.